terça-feira, 27 de outubro de 2009

Aquece o Valenças-Brotense!

As Produções Ficticias Ciborrenses bem tentam fazer alguns post de elevado valor cultural, livres de polémicas e sem trocadilhos nas entrelinhas. No entanto, está no sangue quente de todos os ciborrenses o brotar da piadola e do trocadilho barato na maior parte dos casos dispensável. Ainda bem que assim é porque temos sempre assunto para o blog.
Assim, sugerimos uma leitura atenta a este anúncio do próximo jogo do Valenças...


A interpretação do texto depende óbviamente de quem o lê, tal como o julgar das intenções do mesmo, no entanto as PFC não podiam deixar de destacar um panfleto que é no minimo ousado, agressivo e a roçar a provocação.
Assim, as PFC questionam:
  • É assim que se "sobem" as assistências fim de semana após fim de semana?
  • Alguém sabe quem são? Nós, PFC, não sabemos quem são. Quem são?
  • Unidos seremos invenciveis. Quem os que jogam no Valenças ou os que gostam do Ciborro?
  • Nós gostamos do Ciborro, queremos actuar na Courela. Somos menos Ciborrenses?
  • Havia necessidade de um panfleto destes????

Provavelmente todas estas questões vão ficar sem resposta, e talvez seja melhor assim.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

História da Aldeia

Ora aqui vai mais 2 kg de cultura da boa....
"O único proprietário era a Familia de Valenças, que como tinha aforado e vendido, não explorava por isso os trabalhadores, á qual estes pagavam pequenas mordomias, muitas vezes adiadas e até ás vezes não pagas. De tal forma este fenómeno se torna diferente das terras de onde os habitantes vieram que a atitude de solidariedade, de entreajuda, de vivência comunitária se tornaram tão visiveis, que já no tempo do periodo Salazarista, lhe chamavam a República Independente do Ciborro (por ironia claro!). Repudiando veemente o regime viegente não havia, aliás, correntes ideológicas de direita ou de esquerda que dominassem a população. Havia uma grande união, não pela posse da terra, mas sim um povo unido pelo direito ao trabalho, forma de actuação que lhe advém do Anarco-Sindicalismo..."

in Ciborro, uma aldeia diferente no Alentejo da Drª Anastácia Salgado
As PFC voltam a aconselhar a leitura do Livro da Drª Anastácia a muito bom gente que se diz ciborrense. Ás vezes não basta parece-lo...

Televenda da Semana

"Se queres meter combustível
No teu veiculo a motor
Não vás á do Quim Manel
Que está sempre de mau humor!"

domingo, 18 de outubro de 2009

GASOSO decora 27.001 matriculas!!!

As Produções Ficticias Ciborrenses estão atentas á actualidade, preocupam-se com a população e defendem os seus conterrâneos acima de todos os outros valores morais emergentes na sociedade.

Por isso, afirmamos que um rapaz de Vila Nova de Famalicão vir para o Diário do Sul dizer que tem mais de 27 mil matriculas decoradas só pode estar a querer lançar um desafio ao grande Duarte GASOSO Cacilhas, o nosso expert nesta área.
Gasoso se quiseres uma desgarrada com este individuo as PFC apoiam-te incondicionalmente e organizam o petisco.

terça-feira, 13 de outubro de 2009

O Mito Joel Vs. uma Rolha de Cortiça

Como retirar uma rolha de cortiça de dentro de uma garrafa de vinho vazia? O melhor taberneiro do Mundo, Joel António Neno, faz uma demonstração para o toda a Gália, para os irredutiveis Gauleses e para alguns resistentes romanos aziados!

video

As P.F.C, relembram um video parecido, mas com o nosso artista Pepe Coperfield:

Televenda da Semana!

"As obras no Café Joel
Foi a ASAE é que mandou
Vedou a entrada ás galinhas
E o cão nunca mais entrou!"

terça-feira, 6 de outubro de 2009

"Cadeiras sem Abrigo na Rota do Fresco"

Temos por hábito divulgar o que de interessante se passa na blogesfera Ciborrense, e neste capitulo o site http://www.ciborrenses.com/ é á muito tempo uma referência. De há uns tempos a esta parte conta com a colaboração de António Henrique Cacilhas, que chama a atenção de alguns factos curiosos da nossa aldeia. Aqui fica a reprodução da sua última crónica.
"Há já algumas semanas que a população do Ciborro, deparou-se com um cenário muito bizarro, em frente à Casa da Cultura do Ciborro.
Algo de novo na decoração do adro, as cadeiras que serviram durante muitos anos para a população do Ciborro se sentar no salão da agora designada Casa da Cultura, para assistir aos diversos espectáculos que ali ocorreram. Cadeiras essas que ficaram literalmente despejadas ali na quele espaço, encontrando-se agora a fazer parte da decoração do adro daquela casa (Cultural).
A população Ciborrense interroga-se sobre o objectivo de aquelas cadeiras estarem ali a apodrecer, sim porque á mercê das condições climáticas é o que vai acabar por acontecer.
Mas, uma outra questão se põe, como já falta pouco para o Natal, será que as cadeiras estão a marcar lugar para a chegada das suas irmãs mais novas e mais bonitas trazidas pelo Pai Natal? Não sabendo o porquê de tamanho erro humano, gostaríamos que nos esclarecessem."
Texto e foto de: António Henrique Cacilhas
Clicando nos titulos seguintes, podem ler outras crónicas: