sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Laços de Ternura

As Produções Ficticias Ciborrenses, divulgam o texto publicado no jornal O Montemorense pela correspondente do Ciborro, Srª Maria Ernestina. O assunto desta vez é a localização das novas instalações do Lar de Idosos.


Leia com atenção:


"A construção de um edifício mais espaçoso para o Lar de Idosos continua a ser a obra prioritária e mais desejada para a nossa aldeia. Este problema já não passa despercebido a ninguém e é uma preocupação, para os familiares de idosos que se vêem sem possibilidades de pagar um lar particular e não tem lugar no da sua terra. O actual Lar está completamente cheio e não tem terreno para aumentar as instalações. Na altura em que foi inaugurado era suficiente para o número de idosos que necessitavam desta casa, hoje tem uma vasta lista de espera. Como é do conhecimento público, o imóvel onde se situa o Centro Social foi doado pela família Facas para uma obra de Solidariedade e dai nasceu a ideia de se criar esta Instituição.


Os anos passaram a população está envelhecida e as hipóteses apresentadas para a resolução do problema tem sido muitas. Reunião daqui, papelada acolá e muita, muita burocracia, impedem que tudo não passe da gaveta. Eu, já por diversas vezes abordei este assunto e penso que não é demais traze-lo novamente á praça pública, tenho esperança que o Montemorense e as noticias do Ciborro sejam lidas por quem tem o poder e governa o nosso concelho. Continuo também sonhando que o tão desejado edifício seja construído nos terrenos da cooperativa, tal como tinha sido proposto. Não temos na aldeia melhor local que este, por todos os motivos, repito! É um terreno plano, amplo e solarengo. E faço um apelo em nome da 3ª idade ao Exm° Sr. Presidente da Câmara: á beira de cumprir mais um mandato, a execução deste projecto ficaria como um prémio para a nossa freguesia.

Guardo ainda o papel onde esta registado o discurso da Drª Anastácia Salgado, dirigido á população e ao Sr. Ministro da Solidariedade e Segurança Social dessa altura (Sr. Ferro Rodrigues), quando em 1995 foi inaugurado o Lar.


"Obrigado, Sr. Ministro, por esta iniciativa e a boa vontade com que desbloqueou situações de impasse, ou melhor, de enervante morosidade.”


Creio que é o que está a acontecer com este novo projecto, só que, desta vez, não temos ninguém a mexer os cordelinhos. Reconheço que há leis e que devem ser cumpridas mas o caso aqui é de solidariedade para com aqueles que tanto deram da sua juventude e do seu suor para fazer crescer a sua aldeia. Dessa luta de tantos anos, resta um amontoado de alfaias ferrugentas, carroças a apodrecer, edifícios degradados e o terreno que, por unanimidade, querem oferecer para a construção da casa onde, com dignidade e perto dos seus, possam viver os últimos anos.

Talvez por morar perto deste terreno e não ficar indiferente as necessidades da minha aldeia, sonhei que, ao abrir a minha janela, não existia a tal degradação a que fiz referência mas sim uma grande casa com um logótipo colorido, um idoso a receber uma flor das mãos de uma criança e em letras fluorescentes o nome: Laços de Ternura!"
por Maria Ernestina, em "O Montemorense" Novembro 2008

As P.F.C felicitam a Maria Ernestina por mais este excelente texto de defesa das causas ciborrenses, e associam-se a uma luta que é de todos nós: os ciborrenses.

Como se ouve de boca em boca na aldeia também aqui no blog, nós nos questionamos se será justo alguém tentar impigirnos um local determinado para a construção do novo Lar, quando existem locais considerados unanimente muito mais apropriados que o proposto? Ou será que esta situação estará num impasse, de forma a ser "brilhantemente" desbloqueada em periodo mais propicio?
Fica ao vosso critério...

13 comentários:

chaparro disse...

Já não há pachorra para tantos (Laços de Ternura) que estes políticos nos querem tentar (Impingir-nos)...

Deus queira que um dia veja-mos com os nossos próprios olhos o senhor presidente da Câmara de Montemor-o-Novo, a pedir para vir para esse mesmo Lar de Idosos no Ciborro...

Tristes Situações...

chaparro disse...

Jeff Dunham - Achmed the Dead Terrorist

http://www.youtube.com/watch?v=ErDbWdM3WUg

Produções Ficticias Ciborrenses (PFC) disse...

querem ver que tem de surgir outra petiçao:

" Novo Lar de idosos nos Armazens da Cooperativa já"

chaparro disse...

Areia para os olhos...

Também todos nós sabemos, ou calculamos, o quanto as forças politicas se “agarram” a estes meios para alcançar os seus fins (politicos).

chaparro disse...

Força com a petiçao...

CAJARANA disse...

PARABÉNS Á MAMÃ POR ESTA PELA INTERVENÇÃO E SAUDAÇÕES ÁS PFC PELA PUBLICAÇÃO.

bethoven disse...

Um bom tema a merecer a atenção de todos nos próximos meses.

Muito oportuna, mais uma vez, a intervenção da Mª Ernestina com um texto a justificar uma leitura atenta!

Questões pertinentes sem dúvida...

pepe disse...

É uma situaçao realmente triste! Mas eu nao percebo uma coisa:
SE:

1- o terreno é propriedade da COOP Ciborro que dá o espaço para a construçao do novo lar para a populaçao

2- o lar , nao sei de quem é, mas nao é certamente propriedade da CMMN.

Porque é que a CMMN nesta 1º fase tem de intervir ?? Tem haver com questoes do PDM? è que, nem terreno nem lar , ao que julgo saber sao propriedade da CMMN.

Alem de tudo isto, ha tambem razoes economicas para eu nao perceber a situaçao. Certamente que o Lar do Ciborro tem dificuldades economicas. Se , como esta a acontecer ,alguem oferecer o terreno para a construçao do novo lar, estamos (o Lar deIdosos) a poupar muitos euros na compra de novo terreno. E isto nao é do interesse de todos? Lar, COOP, CMMN...populaçao em geral?

Nao percebo!

pepe disse...

Ja me informei e é mesmo pelo indice de ocupaçao e construçao imposto pelo PDM para o Local em causa. O outro local falado tambem nao pode ser pois esta em REN o que é ainda pior de contornar!

Enfim....

Anónimo disse...

E pimba lá vai para os terrenos da antiga cantina, junto ARPIC como convem a alguem...

pepe disse...

É uma das hipoteses em cima da mesa... nao a melhor!

Cláudia disse...

Em primeiro lugar, Parabéns à prima Maria Ernestina por zelar sempre pelos verdadeiros interesses da Aldeia do Ciborro, independente de outros valores que por vezes surgem. Em segundo lugar, tenho pena que a palavra conveniência seja escrita por anónimos, penso que quem a diz não se deve esconder a não ser que tenha razões para isso... A criação do Lar no Ciborro foi, quanto a mim, uma das obras mais importantes da nossa aldeia, pelas razões que todos conhecemos e que se prendem com uma população envelhecida que muito fez pelo Ciborro e que merece passar esta última fase com qualidade de vida. Mais uma vez me parece que é hora de unir esforços e não criar divisões. Hora de as diferentes entidades envolvidas procurarem soluções sem olharem a "cortes de fitas". Inspiremo-nos na D. Leonor Facas e família que com um pequeno gesto permitiram iniciar o sonho de haver um Lar no Ciborro, e em todos quantos, de uma forma gratuita, têm passado pela direcção daquela instituição, encontrando sempre força para seguir em frente, não esquecendo também todas as colaboradoras que dão o seu melhor. Encontre-se o melhor local seja ele onde for, mas permitam que o Ciborro possa continuar a usufruir de uma "casa" que lhes proporcione o apoio domiciliário ou que seja a extensão da sua, mas sempre perto das suas gentes.

Evaristo disse...

Ora viva! Os meus parabéns às Produçãos Ficticias Ciborrenses.
Eu como Ciborrense de gema que sou, pois nasci (ao contrário da maioria) mesmo na aldeia do Ciborro, venho mostrar o meu desagrado pessoal pela não construção do futuro lar de idosos que efectivamente urge construir.
Ora vejamos o exemplo de São Geraldo, ai ao lado, tem praticamente construído um super-lar de idosos, de altíssima categoria (já o vi por dentro), COMO TAL FOI POSSIVEL? e porque o Ciborro, (mais uma vez) fica para trás? que diabo! tanta gente importante com conhecimentos de vária ordem, escritores, economistas, professores, militares de altas patentes, daí naturais e ou residentes nada, nada são capaz de fazer no sentido de moverem as suas influências para o bem fazer ao Ciborro?
Eu sinceramente não tenho essa capacidade, pois se a tivesse decerto tudo faria para ser possível a construção desse tão necessitado Lar de idosos.
É que meus amigos, hoje os velhotes precisam de um lar que não tem. Mas… muitos de nós também para lá iremos, reflictam nisto!!
Sucessos P.F.C
Ass: M. Mestrinho